OFERTA FORMATIVA

Ref. 268T1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122355/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 02-03-2024

Fim: 30-05-2024

Regime: Presencial

Local: Seminário de Santa Joana - Aveiro

Formador

Nuno Ricardo Oliveira

Destinatários

Professores do grupo 290

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 290. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo 290.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A situação atual de pandemia obriga a pensar em novas formas de “Ser Escola”. A maioria dos especialistas em educação são unânimes em afirmar que o trabalho presencial é insubstituível muito embora o ensino remoto tenha sido a solução possível para corresponder às vicissitudes de uma situação atípica pandémica. No mundo globalizado em que vivemos, a sala de aula não é uma ilha isolada do resto do mundo, pelo que os fenómenos sociais que ocorrem extramuros são, na grande maioria das vezes, mimetizados em comportamentos na sala de aula. A tecnologia nos dias de hoje é uma realidade presente na vida dos nossos estudantes, mas nem sempre é sinal de competências digitais para a sua correta utilização. A maioria dos professores sente a mesma dificuldade na gestão da tecnologia disponível na sala de aula, pelo que urge a formação aos docentes na integração destes novos recursos, de modo a que os alunos possam aprender a usá-los livremente, mas, sobretudo, de forma responsável. Neste contexto de pandemia, os professores tiveram necessariamente de desenvolver uma capacidade (re)criativa, no sentido de darem maior interatividade às estratégias que desenvolveram com os seus alunos, nesta modalidade de ensino remoto. Esta ação tem como objetivo ajudar os professores de EMRC a integrar diferentes ferramentas digitais na sala de aula, nomeadamente o Genially; Canva; Nearpod; Thingllink; Quizlet, entre outras, de modo a promoverem o trabalho mais colaborativo e dinâmico entre os alunos e, por isso, promotoras de uma motivação mais consistente para as aprendizagens essenciais da disciplina. No final da ação, os formandos serão capazes de incluir a utilização destas ferramentas nas suas planificações, tornando as suas aulas mais interativas.

Objetivos

- Identificar novos formatos de organização da sala de aula que permitam potenciar o trabalho colaborativo entre alunos; - Conceber e preparar atividades letivas baseadas em ferramentas tecnológicas e interativas; - Alterar as práticas letivas, recorrendo ao uso sistemático e sistematizado de ferramentas web. - Conceber elementos de avaliação com recurso a ferramentas interativas; - Mudar práticas, procedimentos ou materiais didáticos nas planificações das aulas, com os diferentes anos de escolaridade.

Conteúdos

TRABALHO PRESENCIAL/online – 15 horas 1. Apresentação e levantamento das expectativas dos formandos. Indicação dos objetivos, conteúdos e metodologia da Ação de Formação (1 hora) 2. Discussão de alguns modelos de organização da sala de aula e organização da sala para um trabalho colaborativo (1 hora) 3. Exploração de Ferramentas Interativas e suas potencialidades do seu uso em contexto de aula (11 horas) Ferramentas de apresentação e de brainstorming Wakelet; Ferramentas de Questionários/Avaliação Quizlet, Quizizz, Ferramentas de Vídeo Thinglink; Genial-Ly; Canva; Nearpod, Emaze; Edpuzzle 4. Avaliação com ferramentas interativas (2 horas) TRABALHO AUTÓNOMO – 15 horas 1. Produção de recursos utilizáveis em aula com as ferramentas Interativas já exploradas – 2. Avaliação da Formação.

Avaliação

Os formandos serão avaliados tendo como referência os seguintes indicadores: 1 – Participação – 25% Qualidade científico-pedagógica das intervenções – 15% Realização das atividades propostas – 10% 2 - Produção e aplicação de materiais e recursos relevantes e adequados ao nível etário dos alunos- 60% Produção de materiais e recursos relevantes – 25% Aplicação correta em contexto de sala de aula – 25% Adequação ao nível etário dos alunos – 10% 3 - Relatório de reflexão crítica – 15% Súmula clara e objetiva das aprendizagens realizadas – 5% Identificação clara e objetiva dos pontos fortes e fracos do formando – 5% Considerações claras e objetivas sobre a metodologia da ação de formação (incluindo sugestões para ações futuras) – 3% Autoavaliação – 2% A avaliação dos formandos será quantitativa e terá uma classificação na escala de 1 a 10, em que: 9 a 10 valores – Excelente; 8 a 8,9 valores – Muito Bom; 6,5 a 7,9 valores – Bom; 5 a 6,4 valores – Regular; 1 a 4,9 valores – Insuficiente.

Bibliografia

IQF. (2004). Guia para a Concepção de Cursos e Materiais Pedagógicos. Lisboa: Instituto para a Qualidade da Formação.IQF. (2006). Guia para a Avaliação da Formação. Lisboa: Instituto para a Qualidade da Formação.Moreira, C. M. (2012). Para uma legitimação cultural do ensino da religião. Lisboa: Comissão da Liberdade Religiosa.Nova Enciclopédia Larousse. (1997). Nova Enciclopédia Larousse. Lisboa: Círculo de Leitores.Nunes, D. T. (Maio-Agosto de 2006). Sobre as finalidade de Educação Moral e Religiosa Católica. Pastoral Catequética, pp. 75-80


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-03-2024 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial
2 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
3 07-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
4 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
5 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
6 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
7 21-03-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
8 23-03-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online assíncrona
9 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
10 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
11 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
12 27-04-2024 (Sábado) 10:00 - 12:00 2:00 Presencial


199

Ref. 197T1 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-111110/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 04-03-2024

Fim: 14-05-2024

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Oliveirinha (escola sede)

Formador

José Alberto Loureiro Costa

Destinatários

Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10. Avaliação e conclusões.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdfLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfKampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdfLopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-03-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 11-03-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
3 18-03-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
4 08-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 15-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 22-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
7 29-04-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
8 13-05-2024 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial


194

Ref. 284T1 Inscrições abertas até 05-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD20/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 06-03-2024

Fim: 06-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Mário Sacramento - Aveiro

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Departamento de Educaçao Especial- Agrupamento de Escolas Dr. Mário Sacramento / Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha

Enquadramento

A escola, não sendo o único, é um contexto suscetível à prática de bullying. As crianças e os jovens que a frequentam, por estarem em fase de formação, vivenciam necessidades de autoafirmação e, muitas vezes, não sabem lidar com o diferente. A adoção de práticas inaceitáveis de discriminação e superioridade de determinados alunos sobre outros, pode afetar, de forma muito intensa e negativa, a participação e desempenho, dos últimos, no contexto escolar. Ao professor é pedido que identifique estas situações e que haja em conformidade. É um processo complexo, por vezes, difícil de mediar. É neste contexto que surge esta proposta de formação, que pretende capacitar os docentes para a prevenção, identificação e intervenção em situações de bullying.

Objetivos

- Capacitar os professores para identificar e compreender o fenómeno do bullying, para que possam agir adequadamente na prevenção e na mediação de situações problemáticas;   - Incentivar a reflexão sobre o papel dos professores na prevenção do bullying e seu impacto na formação de cidadãos mais conscientes, empáticos e responsáveis;   - Promover a cultura de prevenção do bullying na escola, por meio da sensibilização e conscientização dos professores, familiares e alunos, contribuindo para a construção de uma sociedade mais pacífica e justa.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 238T2 Inscrições abertas até 19-04-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121614/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 26-04-2024

Fim: 31-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Estevão

Formador

Aida Margarida Teixeira Neves

Destinatários

Professores dos Grupos 400 e 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 400 e 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 400 e 520.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A sexualidade sempre foi objeto de interesse e reflexão do homem e, dessa forma, ele vai elaborando histórica e culturalmente um conjunto de posturas, regras e cerimónias ao redor do sexo e dos papéis sexuais. Entende-se então que os aspetos da sexualidade ao longo dos tempos vêm contribuindo para ampliar a perceção de ordem política, social, económica, cultural, religiosa e ética. Pode-se dizer ainda que sexualidade é o traço mais íntimo do ser humano e, como tal, se manifesta diferentemente em cada indivíduo, de acordo com a realidade e as experiências vivenciadas pelo mesmo. Dotar os professores de Ciências Naturais de uma perspetiva histórica para uma abordagem abrangente no âmbito do Projeto Educação para a Saúde e Educação Sexual.

Objetivos

Sensibilizar os professores para a importância da sexualidade na compreensão da História e das Ciências; Compreender a importância da História das Mentalidades; Dotar os professores de conhecimentos específicos sobre a função da Sexualidade nos séculos XVIII, XIX e XX; Educar para a fruição multimédia das linguagens (texto-imagem); Adquirir uma visão global do saber, através duma ótica de didática interdisciplinar e pluridisciplinar; Adquirir uma didática atenta à comunicação no âmbito da História das Mentalidades (experiência frequentemente desfrutada pelos alunos no seu quotidiano) visando potenciar o seu envolvimento na motivação para aprender.

Conteúdos

1- A Revolução Francesa - Sade ou a revolução do sexo; - A Declaração dos Direitos de Eros; - As mulheres prisioneiras do sexo; - as duas esferas: homem público e mulher privada; - Família, sexo e sangue; - Amor e casamento; - Segredos da prociação. 2 - As vergonhas do sexo no séc. XIX - A ameaça do desejo; - O prazer solitário; - A confissão sexual e o segredo médico; - Os múltiplos modelos de concubinagem; - O advento da sexualidade no séc. XIX (a mutação do imaginário e erótico); - As mulheres e o médico. 3 - Séc. XX, o corpo reabilitado - Segredos da família; - Contracepção artesanal e técnicas modernas; - A caminho forma erótica "judeo-cristã"?. 4 - A caça ao orgasmo - A busca da harmonia sexual; - Orgasmologia e orgasmoterapia. 5 - Do sexo cromossomático ao sexo psicológico: transexualidade e identidade; - Sexualidade e controlo social.

Metodologias

No decurso da ação de formação a que se refere o presente plano serão desenvolvidas as seguintes metodologias: - Expositiva. - Discussão generalizada ao grupo de formandos. No que se refere à tipologia das sessões de trabalho, estão planificadas sessões teóricas, 3 sessões de três horas e 2 sessões teórico-práticas de três horas . As sessões terão uma componente teórico-prática havendo sempre no final de cada sessão um momento de apresentação de dúvidas, debate e reflexão, assim como a aplicação prática dos conteúdos apresentados. Serão desenvolvidas com recurso a: - Sessões plenárias de formação em grupo para apresentação dos conteúdos. Nas sessões teóricas serão implementadas as metodologias, expositiva e de discussão. As sessões teórico-práticas desenvolver-se-ão segundo as metodologias de debate e de resolução de problemas.

Avaliação

Avaliação dos formandos baseada nos seguintes pressupostos: • Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas de formação presencial. • Classificação na escala de 1 a 10, de acordo com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio. Critérios de avaliação: • Participação nas sessões presenciais – 20 % • Recensão crítica individual sobre a ação realizada – 30 % • Projeto a pares sobre a componente prática, que se traduzirá numa apresentação em slides do projeto que desenvolveram no sistema de gestão de aprendizagem – 50 %

Bibliografia

Ariès, Phillipe. e Duby, G., História da Vida Privada, Edições Afrontamento 1991BADINTER, E. L'amour em plus. Histoire de l'amour maternal (XVIIe-XXe siècle). Paris: Flammarion, 1980.BIRMAN, J. Gramáticas do erotismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.FOUCAULT, M. Naissance de la clinique. Paris: PUF, 1963.FOUCAULT, M. Archeologie du savoir. Paris: Gallimard, 1969.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-04-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 03-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 10-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 17-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 24-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Ref. 229T1 Inscrições abertas até 30-04-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121455/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 35.0 horas

Início: 26-08-2024

Fim: 31-08-2024

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Francisco José Ferreira gomes Pinto de Sousa

Destinatários

Professores do Grupo 520.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Grupo 520..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A importância didática e científica do trabalho prático de campo no ensino das Geociências é consensual entre os autores que se dedicam à Didática das Ciências. É reconhecida alguma resistência, por parte dos docentes à implementação do trabalho de campo na área do vulcanismo e as principais razões apontadas são o reconhecimento de dificuldades de natureza científica e organizacional, bem como o distanciamento real relativamente às paisagens vulcânicas nacionais, nomeadamente no Arquipélago dos Açores. Estas dificuldades podem ser minimizadas pela realização de cursos de formação que promovam a componente científica e didática em Geologia com a divulgação de locais com interesse científico e didático e da construção de documentos de apoio às saídas de campo, neste caso concreto no Grupo Central do Geoparque UNESCO Açores, nomeadamente nas ilhas do Pico, Faial e S. Jorge. Pretende-se que os formandos adquiram experiência e conhecimentos no domínio da geomorfologia e vulcanologia deste território insular, de aspetos vulcanológicos lecionados na disciplina de Ciências Naturais, 7º ano de escolaridade, e Biologia-Geologia, nos 10º e 11º anos, com exemplos concretos do potencial didático das paisagens e afloramentos insulares, graças a um conjunto de várias saídas de campo nestas ilhas, onde é possível estudar in situ com os fenómenos de vulcanismo e geomorfologia vulcânica e compreender evidências de atividade vulcânica em Portugal e os seus impactes socioeconómicos.

Objetivos

• Pesquisar e sistematizar informações, integrando saberes prévios, para construir novos conhecimentos; • Explorar acontecimentos, atuais ou históricos, que documentem a natureza do conhecimento científico; • Construir representações a partir da interpretação de processos geológicos em ambiente vulcânico natural; • Formular hipóteses a partir de dados recolhidos em contexto natural que possam ser confrontados com o conhecimento científico aceite; • Desenvolver atitudes e valores inerentes ao Trabalho de Campo em ambiente vulcânico, com incremento dos conhecimentos científicos dos formandos, potenciando atitudes de cooperação, partilha e respeito pelo património insular, natural; • Promover a educação para o desenvolvimento sustentado por intermédio da conservação da geodiversidade e do património geológico, consubstanciada no conhecimento científico dos geossítios das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, Grupo Central do Arquipélago dos Açores, que integram o Geoparque UNESCO Açores.

Conteúdos

 Enquadramento geodinâmico dos Açores, sensu lato, e das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, sensu stricto;  Localização geográfica dos Açores;  Caracterização morfoestrutural da Plataforma dos Açores;  Modelos geodinâmicos dos Açores;  Caracterização geoquímica dos produtos vulcânicos dos Açores;  Actividade sísmica histórica e instrumental nos açores;  Vulcanismo histórico nos Açores;  Reconstrução e evolução paleoambiental do arquipélago dos Açores e das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge;  Enquadramento geográfico, tectónico, geomorfológico e geológico das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, com ênfase nos locais a visitar no âmbito das saídas de campo;  Atividades exemplificativas de trabalho de campo em Vulcanologia, nas ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, Grupo Central do Arquipélago dos Açores;  O Trabalho de Campo no ensino/aprendizagem da Geologia no domínio do Vulcanismo;  Património Geológico, Geoconservação e Geodiversidade nas ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, Geoparque UNESCO Açores.

Metodologias

Os momentos da formação estarão divididos em duas componentes: Sessões Teórico-Práticas:  Exposição dos conteúdos programados, apoiada em diversos materiais auxiliares, com análise e discussão em grande grupo dos mesmos, com a partilha de ideias e experiências de todos os intervenientes, com destaque para: - Enquadramento geográfico, tectónico, geológico e geomorfológico dos Açores e das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge no contexto da vulcanologia insular; - Geoconservação do património geológico e geomorfológico, com destaque para os geossítios das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, Geoparque UNESCO Açores;  Planificação/preparação de saídas de campo nas ilhas do Pico, Faial e S. Jorge – Grupo Central do Arquipélago dos Açores –, tendo em conta a perspetiva construtivista em TC em Geociências – Modelo de Nir Orion; - O material necessário ao trabalho de campo: manuseamento e regras de segurança; - Exploração de cartas geológicas e topográficas das ilhas do Pico, Faial e S. Jorge.

Avaliação

s formandos serão avaliados na escala de 1 a 10, de acordo com o despacho n.º 4595/2015. Para obter a certificação, é necessária a frequência de, pelo menos, dois terços do total das horas de formação. Critérios de avaliação: • Participação e empenho nas sessões de trabalho presenciais/saídas de campo propostas nas ilhas do Pico, Faial e S. Jorgel. • Trabalho final individual sobre a formação realizada, integrando a elaboração de um roteiro geológico/aplicação didática para eventual utilização em situação real de ensino-aprendizagem com alunos de Ciências Naturais e/ou de Biologia-Geologia. Este trabalho deve abordar pelo menos uma das paragens geológicas efetuadas num dos locais visitados nas ilhas do Pico, Faial e S. Jorge, Geoparque UNESCO Açores.

Bibliografia

ALMEIDA, M.H., 2001. A fonte mantélica na região dos Açores: Constrangimentos impostos pelas características geoquímicas de rochas vulcânicas e de xenólitos ultramáficos. Tese de Doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia, Departamento de Geociências, Universidade dos Açores, 161 p. COLE, P.D., GUEST, J.E., DUNCAN, A.M., PACHECO, J.M., 2001. Capelinhos 1957-1958, Faial, Azores: deposits formed by na emergent surtseyan eruption. Bull. Volcanol., 63, 204-220.COUTINHO, R., 2000. Elementos para a monitorização sismovulcânica da ilha do Faial (Açores): Caracterização hidrogeológica e avaliação de anomalias de Rn associadas a fenómenos de desgaseificação. Tese de Doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Vulcanologia, Departamento de Geociências, Universidade dos Açores, 342 p.CRUZ, J.V., 1997. Estudo hidrogeológico da Ilha do Pico (Açores - Portugal). Tese de Doutoramento no ramo de Geologia, especialidade de Hidrogeologia, Departamento de Geociências, Universidade dos Açores, 433 p.CRUZ, J.V., NUNES, J.C., FRANÇA, Z., CARVALHO, M.R., FORJAZ, V.H., 1995. Estudo vulcanológico das erupções históricas da ilha do Pico - Açores. Memórias do Museu e Laboratório Mineralógico e Geológico da Faculdade de Ciências do Porto, 4, 985-987.FORJAZ, V.H., 1980. Esboço geológico do sistema vulcânico Faial-Pico-S.Jorge, na escala 1:200000. Laboratório de Geociências e Tecnologia, SRCI, Rel. Int. 03.08, 2 p.



INSCREVER-ME

Ref. 130T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-119346/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 26.0 horas (13.0 horas presenciais + 13.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 28-02-2024

Fim: 10-05-2024

Regime: Presencial

Local: Departamento de Educação e Psicologia da UA

Formador

Margarida Morais Marques

Lúcia Pombo

Ana Rita Monteiro Rodrigues

Sofia Alexandra Soares Ribeiro

Destinatários

Professores dos Grupos 420, 510 e 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 420, 510 e 520.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / Universidade de Aveiro

Enquadramento

Os dispositivos móveis, usados por crianças e jovens em idade escolar (1), podem promover a motivação e a melhoria da aprendizagem (2). A literatura tem acumulado evidências das oportunidades de aprendizagem criadas pelo uso das tecnologias móveis em contexto educativo, contudo, verifica-se uma escassez de formação de professores em áreas como a do mobile e game-based learning (3). O projeto EduCITY (https://educity.web.ua.pt/) criou uma app que integra realidade aumentada, jogo e ambientes ao ar livre para promover aprendizagens interdisciplinares de educação para a sustentabilidade contextualizadas. Projetos similares revelaram uma elevada usabilidade e valor educativo (4), particularmente quando se procura criar questões promotoras de pensamento de elevado nível cognitivo (5). Visando a melhoria da qualidade do ensino, através da integração de tecnologias móveis e jogos, esta Oficina de Formação (OF) propõe a conceção, construção e operacionalização de um jogo e de outros recursos educativos digitais (RED) interdisciplinares de educação para a sustentabilidade, passíveis de serem integrados em apps como a do EduCITY. A qualidade e relevância dos RED produzidos é sustentada na: i) articulação dos RED com o Currículo Nacional; e ii) implementação dos RED em contextos educativos dos professores-formandos e sua avaliação.

Objetivos

A grande finalidade desta OF consiste na motivação dos professores-formandos para mudanças efetivas nas práticas educativas, com vista à melhoria das aprendizagens dos alunos. Para tal, visa: 1. criar um ambiente de formação promotor da inovação das práticas, através do uso eficaz de estratégias que envolvam dispositivos móveis, jogos e RED na promoção de aprendizagens de educação para a sustentabilidade; 2. trabalhar temáticas curriculares nas quais os alunos apresentam frequentemente dificuldade de aprendizagem, de acordo com a perceção dos professores-formandos, que possam ser abordadas com sucesso através de mobile game-based learning; 3. conceber, construir e operacionalizar, em contextos educativos reais, RED de educação para a sustentabilidade, interdisciplinares, passíveis de serem integrados em apps como a do EduCITY; 4. avaliar e refinar os RED desenvolvidos; 5. disponibilizar para a comunidade, de forma aberta e gratuita, os RED desenvolvidos.

Conteúdos

- Potencial educativo do mobile game-based learning e de RED, visando a educação para a sustentabilidade. - O projeto EduCITY como um exemplo de inovação nas práticas educativas ao nível do mobile game-based learning, numa lógica interdisciplinar. - Exploração da abordagem de jogo através de questões contextualizadas e promotoras de pensamento a diferentes níveis cognitivos. - Utilização de plataformas digitais para a criação e partilha de jogos e RED.

Avaliação

A avaliação dos formandos baseia-se nos pressupostos: 1- Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas de formação presencial; 2- Os critérios de avaliação serão elaborados de acordo com as orientações da entidade formadora, tendo por base os seguintes itens: • Empenho e participação nas sessões presenciais (20%), • E-portefólio (80%) - reflexões de grupo; - jogo e restantes RED desenvolvidos; - análise dos resultados da implementação com alunos; • Reflexão individual sobre a experiência formativa. 3- Classificação na escala de 1 a 10, de acordo com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio.

Bibliografia

Simões, J. et al. (2014). Crianças e Meios Digitais Móveis em Portugal: Resultados Nacionais do Projeto Net Children Go Mobile. CESNOVA. https://netchildrengomobile.eu/ncgm/wp-content/uploads/2013/07/ncgm_pt_relatorio1.pdfCrompton, H., Burke, D., & Gregory, K. H. (2017). The use of mobile learning in PK-12 education: A systematic review. Computers & Education, 110, 51–63. https://doi.org/10.1016/j.compedu.2017.03.013Almaiah, M. A., Al-Khasawneh, A., & Althunibat, A. (2020). Exploring the critical challenges and factors influencing the E-learning system usage during COVID-19 pandemic. Education and Information Technologies, 25(6), 5261–5280. https://link.springer.com/article/10.1007/s10639-020-10219-yPombo, L., & Marques, M. M. (2018). The EduPARK Mobile Augmented Reality Game: learning value and usability. In I. A. Sánchez, & P. Isaías (Eds.), Proceedings of the 14th International Conference Mobile Learning 2018 (pp. 23-30). IADIS. http://www.iadisportal.org/digital-library/the-edupark-mobile-augmented-reality-game-learning-value-and-usabilityPombo, L., & Marques, M. M. (2022). Mobile learning games with augmented reality in a park - system for classification of questions for quiz game creation. In P. Kommers, I. A. Sánchez & P. Isaías (Eds.), International Conferences e-Society 2022 and Mobile Learning 2022 (pp. 187-194). IADIS. http://www.iadisportal.org/digital-library/mobile-learning-games-with-augmented-reality-in-a-park-system-for-classification-of-questions-for-quiz-game-creation


Observações

Material necessário: computador pessoal portátil e smartphone

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
2 13-03-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
3 10-04-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial
4 24-04-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
5 08-05-2024 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial

Ref. 258T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121990/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 03-03-2024

Regime: Presencial

Local: a designar

Formador

Ana Isabel Gomes Faria da Costa

Destinatários

Professores dos Grupos 260 e 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 260 e 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 260 e 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

APEF e Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha

Enquadramento

No âmbito da disciplina de Educação Física, o ensino/aprendizagem dos conteúdos programáticos das atividades rítmicas expressivas englobam, entre outras, as danças sociais. Sendo que a linguagem técnica utilizada na abordagem destas danças nem sempre é dominada pelos professores de Educação Física, quer pela complexidade que apresenta quer porque exige ao professor uma constante necessidade de atualização, procura-se então, através desta ação, uma simplificação e atualização de técnicas que suportem o desenvolvimento das danças em sala de aula, de forma criativa, apelativa e segura.

Objetivos

• Identificar as formas musicais, noções e terminologias básicas específicas dos diferentes tipos de dança; • Dominar as posições, direções e voltas básicas; • Dominar os alinhamentos espaciais básicos; • Dominar o reportório motor específico das danças desenvolvidas, assim como as progressões; • Realizar, individualmente, aos pares e em roda, os encadeamentos coreográficos desenvolvidos, de acordo com a forma musical e ritmo de cada dança com alinhamento corporal, coordenação e fluidez de movimentos.

Conteúdos

• Danças Sociais a trabalhar: Merengue, Rumba Quadrada, Cha Cha Cha e Valsa; • Enquadramento geral, caracterização, terminologia e noções básicas específicas dos diferentes tipos de dança; • Apresentação de princípios éticos relacionados com o respeito e o compromisso pessoal pelos outros; • Apropriação de habilidades técnicas específicas nos diferentes tipos de dança: - ao nível da dimensão corpo: as posturas, o alinhamento corporal, a dissociação entre o movimento dos membros superiores e inferiores, as ações com diferenciação segmentar e as transferências de peso; - ao nível da dimensão espaço: as direções básicas, as posições básicas e pegas, a dissociação das ações próprias com as do par, a condução do par, pontos referenciais e alinhamentos básicos (espaço próprio e espaço partilhável) - ao nível da dimensão ritmo: a distinção entre compassos binários, ternários e quaternários, a contagem e marcação dos tempos do compasso com identificação do 1º tempo do compasso.

Metodologias

Estão previstas vinte e cinco horas práticas, sendo que durante as horas de prática serão abordados alguns conteúdos teóricos.

Avaliação

Avaliação dos formandos baseada nos seguintes pressupostos: • Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas de formação presencial. • Classificação na escala de 1 a 10, de acordo com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio. Critérios de avaliação: • Empenho e participação nas sessões – 70% • Realização de uma sequência coreográfica com os passos desenvolvidos tendo por base uma das danças apreendidas – 30% NOTA: CASO SEJA OBRIGATÓRIO A APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO ESCRITO, OS CRITERIOS SERÃO OS SEGUINTES: empenho - 70%, realização de uma sequência coreográfica - 20%, e relatório escrito - 10%.

Bibliografia

Jacinto, J., Carvalho, L., Comédias, J., Mira, J. - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10.º, 11.º e 12.º Anos, Formação Geral, Cursos Científico-Humanísticos. Ministério da Educação, Departamento do Ensino Secundário, 2021.Valente-dos-Santos, J., Faria, J., Pinho, R. - Fair Play, Educação Física 10º, 11º e 12º anos. Texto Editores, Lda, 2013.


Observações

CRONOGRAMA 21/02/2024 - das 18h00 às 23h00 (5horas); 23/02/2024 - das 18h00 às 23h00 (5 horas); 24/02/2024 - das 14h30 às 19h30 (5 horas); 28/02/2024 - das 18h00 às 23h00 (5 horas); 02/03/2024 - das 14h30 às 19h30 (5 horas);

Preço de Inscrição: Sócios da APEF (com quotas regularizadas, até ao dia 15 de fevereiro) – 20€ Professores do CFEAECAAV - 50€ Outros participantes: 80 € Pagamento por transferência bancária para o NIB 0035 0123 0006 7384 2309 0. Solicitamos o envio do comprovativo da transferência, para o email apefaveiro@gmail.com Data limite de pagamento e inscrição: 15 de fevereiro.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 23:00 5:00 Presencial
2 23-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 23:00 5:00 Presencial
3 24-02-2024 (Sábado) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial
4 28-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 23:00 5:00 Presencial
5 02-03-2024 (Sábado) 14:30 - 19:30 5:00 Presencial

Ref. 235T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121246/23

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 15-02-2024

Fim: 30-04-2024

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária José Estevão

Formador

Sylvie Lopes Marques

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2024/2025, no que respeita ao 10.º ano de escolaridade; b) 2025/2026, no que respeita ao 11.º ano de escolaridade; c) 2026/2027, no que respeita ao 12.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Secundário procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); - Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).

Conteúdos

- Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE - Ideias inovadoras do Currículo: o Matemática para a Cidadania; o Pensamento Computacional; o Diversificação de temas no currículo; o Matemática para todos. - Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais: o Resolução de problemas, modelação e conexões o Raciocínio dedutivo e lógica matemática o Recurso sistemático à tecnologia o Tarefas e recursos educativos o Práticas enriquecedoras e criatividade o Organização do trabalho dos alunos o Comunicação matemática o Avaliação para a aprendizagem - Operacionalização das Aprendizagens Essenciais. - Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas: o Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos; o Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo numérico e simbólico; o Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; o Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de problemas. - Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões síncronas, a elaboração e reflexão sobre tarefas para os alunos, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Bibliografia

Revista dedicada ao Pensamento Computacional: Educação e Matemática, 162Veloso, E. (1998). Geometria: Temas Actuais: materiais para professores. Lisboa: IIE.Graça Martins, M. E. & Cerveira, A. (1998). Introdução às Probabilidades e à Estatística. Universidade Aberta.Amado, N. & Carreira, S. (2019). Trabalho de Projeto. Obtido de: http://hdl.handle.net/10400.1/15482Teixeira, P., Precatado, A., Albuquerque, C., Antunes, C., & Nápoles, S. (1997). Funções - 10º ano. Lisboa: Ministério da Educação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
2 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
3 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
4 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
5 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
6 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
7 25-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
8 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
9 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial
10 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Presencial


193

Ref. 239T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121695/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-02-2024

Fim: 26-03-2024

Regime: Presencial

Local: Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian

Formador

Alla Pushnenkova

Destinatários

Professores de Ensino Artístico M15 e M17

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Ensino Artístico M15 e M17. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Ensino Artístico M15 e M17.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A técnica de tocar qualquer instrumento é baseada em processos físicos e mentais. A compreensão e a subordinação nesses processos em ato de performance é um factor de contribuir o sucesso do aluno no ensino especializado da música. Abordando em detalhe cada um de uma série de problemas inerentes à técnica pianística, à luz de ligações entre os processos físicos e mentais e de metodologias avançadas do ensino do piano de acordo com diversas escolas da Europa e da Rússia, esta Oficina de Formação pretende tornar acessíveis a professores e alunos conhecimentos específicos e métodos práticos susceptíveis de contribuir para a formação de uma base técnica sólida ou para a resolução de problemas técnicos concretos.

Objetivos

Tornar conhecidos, de uma forma estruturada e sistemática, métodos de uma abordagem consciente para resolver problemas técnicos. Contribuir, através do alargamento do leque de ferramentas metodológicas de que cada docente dispõe, para uma maior eficácia na resolução de problemas técnicos específicos de cada aluno e na criação de uma base técnica sólida. Proporcionar recursos que facilitem aos docentes a tarefa de criar estratégias de ensino adequadas às necessidades individuais do aluno, ao nível da correção de problemas técnicos existentes.

Conteúdos

Apresentação do formador e formandos; Apresentação dos objetivos da formação; auscultação das espectativas dos formandos acerca da formação. História da metodologia de tocar piano: das diversas teorias e visões (Ludwig Deppe, Emil Du Bois-Reymond, Oscar Raif, Steinhausen) até escola psico-técnica. Vertentes da técnica pianística de acordo com alguns pianistas de referência: Muzio Clementi,Johann Hummel, Karl Czerny, Franz Liszt, Frédéric Chopin, Robert Schumann, Józef Hofmann, Carl Martienssen, Adriana Birmak, Heinrich Neuhaus. Processos mentais subjacentes à técnica do piano. Posição pianística e formação das competências primárias da técnica pianística; Importância de adquirir a automatização de movimentos físicos; Diversidade das posições de mão nos movimentos horizontais: técnica das escalas e dos arpejos; Relaxamento físico é o factor integral de velocidade e resistência: técnica de execução dos acordes e das notas dobradas; Processos de excitação e inibição do sistema nervoso e problema de aumento da velocidade e destreza dos dedos. Métodos para atingir velocidade na execução pianística; Agrupação técnica e a ligação entre as posições como factores de aumentar a velocidade; Debate sobre as questões abordadas ao longo das sessões anteriores; Conclusões da matéria abordada durante a formação.

Metodologias

A formação tem por base a reflexão teórica e prática. Proceder-se-á a uma metodologia interativa. As sessões serão teórico-práticas, privilegiando os contextos e as vivências profissionais. As sessões serão organizadas do seguinte modo:1ª sessão: apresentação dos intervenientes e auscultação das espectativas; 2ª sessão: História da metodologia de tocar piano: das diversas teorias e visões até escola psicotécnica. Processos mentais subjacentes à técnica de tocar piano; 3ª sessão: Posição pianística e formação das competências primárias da técnica pianística; 4ª sessão: Diversidade das posições de mão nos movimentos horizontais: técnica das escalas e dos arpejos;5ª sessão: Relaxamento físico é o factor integral de velocidade e resistência: técnica de execução dos acordes e das notas dobradas; 6ª sessão: Importância de adquirir a automatização de movimentos físicos; problema de aumento da velocidade e destreza dos dedos; 7ª sessão: Agrupação técnica e a ligação entre as posições como factores de aumentar a velocidade;8ª sessão: Debate sobre as questões abordadas ao longo das sessões anteriores

Avaliação

Avaliação dos formandos baseada nos seguintes pressupostos: • Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas de formação presencial • Classificação na escala de 1 a 10, de acordo com o Despacho nº4595/2015, de 6 de maio Critérios de avaliação: • Pontualidade, empenho e participação nas sessões • Elaboração de um relatório individual, em que cada formando comenta a aplicação prática de pelo menos 1 item abordado ao longo da formação, no caso concreto de uma obra trabalhada com os seus alunos

Bibliografia

1. Alekseev A. Metodologia de apreender de tocar piano (Moscovo, Música, Rússia, 1978) 2. Cortot A. Principes rationnels de la technique pianistique (Salabert Editional, 2009) 3. Neuhaus H. El arte del piano (Real Musical, 2001) 4. Kogan G. Trabalho do pianista (Moscovo, Clássica- XXI, Rússia, 2004) 5. George Kochevitsky. The Art of Piano Playing, a scientific approach (Alfred Music, 1967)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-02-2024 (Segunda-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 12-02-2024 (Segunda-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
3 14-02-2024 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
4 14-02-2024 (Quarta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
5 25-03-2024 (Segunda-feira) 15:00 - 19:00 4:00 Presencial
6 26-03-2024 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
7 26-03-2024 (Terça-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 238T1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121614/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 02-02-2024

Fim: 01-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária José Estevão

Formador

Aida Margarida Teixeira Neves

Destinatários

Professores dos Grupos 400 e 520

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 400 e 520. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 400 e 520.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A sexualidade sempre foi objeto de interesse e reflexão do homem e, dessa forma, ele vai elaborando histórica e culturalmente um conjunto de posturas, regras e cerimónias ao redor do sexo e dos papéis sexuais. Entende-se então que os aspetos da sexualidade ao longo dos tempos vêm contribuindo para ampliar a perceção de ordem política, social, económica, cultural, religiosa e ética. Pode-se dizer ainda que sexualidade é o traço mais íntimo do ser humano e, como tal, se manifesta diferentemente em cada indivíduo, de acordo com a realidade e as experiências vivenciadas pelo mesmo. Dotar os professores de Ciências Naturais de uma perspetiva histórica para uma abordagem abrangente no âmbito do Projeto Educação para a Saúde e Educação Sexual.

Objetivos

Sensibilizar os professores para a importância da sexualidade na compreensão da História e das Ciências; Compreender a importância da História das Mentalidades; Dotar os professores de conhecimentos específicos sobre a função da Sexualidade nos séculos XVIII, XIX e XX; Educar para a fruição multimédia das linguagens (texto-imagem); Adquirir uma visão global do saber, através duma ótica de didática interdisciplinar e pluridisciplinar; Adquirir uma didática atenta à comunicação no âmbito da História das Mentalidades (experiência frequentemente desfrutada pelos alunos no seu quotidiano) visando potenciar o seu envolvimento na motivação para aprender.

Conteúdos

1- A Revolução Francesa - Sade ou a revolução do sexo; - A Declaração dos Direitos de Eros; - As mulheres prisioneiras do sexo; - as duas esferas: homem público e mulher privada; - Família, sexo e sangue; - Amor e casamento; - Segredos da prociação. 2 - As vergonhas do sexo no séc. XIX - A ameaça do desejo; - O prazer solitário; - A confissão sexual e o segredo médico; - Os múltiplos modelos de concubinagem; - O advento da sexualidade no séc. XIX (a mutação do imaginário e erótico); - As mulheres e o médico. 3 - Séc. XX, o corpo reabilitado - Segredos da família; - Contracepção artesanal e técnicas modernas; - A caminho forma erótica "judeo-cristã"?. 4 - A caça ao orgasmo - A busca da harmonia sexual; - Orgasmologia e orgasmoterapia. 5 - Do sexo cromossomático ao sexo psicológico: transexualidade e identidade; - Sexualidade e controlo social.

Metodologias

No decurso da ação de formação a que se refere o presente plano serão desenvolvidas as seguintes metodologias: - Expositiva. - Discussão generalizada ao grupo de formandos. No que se refere à tipologia das sessões de trabalho, estão planificadas sessões teóricas, 3 sessões de três horas e 2 sessões teórico-práticas de três horas . As sessões terão uma componente teórico-prática havendo sempre no final de cada sessão um momento de apresentação de dúvidas, debate e reflexão, assim como a aplicação prática dos conteúdos apresentados. Serão desenvolvidas com recurso a: - Sessões plenárias de formação em grupo para apresentação dos conteúdos. Nas sessões teóricas serão implementadas as metodologias, expositiva e de discussão. As sessões teórico-práticas desenvolver-se-ão segundo as metodologias de debate e de resolução de problemas.

Avaliação

Avaliação dos formandos baseada nos seguintes pressupostos: • Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas de formação presencial. • Classificação na escala de 1 a 10, de acordo com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio. Critérios de avaliação: • Participação nas sessões presenciais – 20 % • Recensão crítica individual sobre a ação realizada – 30 % • Projeto a pares sobre a componente prática, que se traduzirá numa apresentação em slides do projeto que desenvolveram no sistema de gestão de aprendizagem – 50 %

Bibliografia

Ariès, Phillipe. e Duby, G., História da Vida Privada, Edições Afrontamento 1991BADINTER, E. L'amour em plus. Histoire de l'amour maternal (XVIIe-XXe siècle). Paris: Flammarion, 1980.BIRMAN, J. Gramáticas do erotismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.FOUCAULT, M. Naissance de la clinique. Paris: PUF, 1963.FOUCAULT, M. Archeologie du savoir. Paris: Gallimard, 1969.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 09-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 23-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 01-03-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 15-03-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

Ref. 272T2 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD17/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 21-02-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Mário Sacramento - Aveiro

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / Unidade de Saúde Publica do Baixo Vouga

Enquadramento

• As alergias alimentares (AA) atingem cerca de 5% das crianças e jovens em idade escolar, com um conjunto de sintomas, em caso de contacto ou ingestão inadvertida do alergénio, de gravidade crescente, que pode atingir a anafilaxia com risco de vida para a criança ou jovem (DGS, 2022). • Por ser um local onde as crianças passam grande parte do seu tempo, a possibilidade de ocorrerem episódios de alergia alimentar é considerável no ambiente escolar. • A escola é um local onde é necessário aplicar um conjunto de procedimentos e normas de forma a assegurar a prevenção de episódios de AA (DGS, 2022). • Neste sentido, revela-se de extrema importância que os procedimentos, preventivos e de atuação emergente, estejam bem disseminados por toda a estrutura escolar.

Objetivos

• Capacitar a comunidade docente e não docente para reconhecerem os sinais e sintomas de reações alérgicas alimentares. • Educar sobre os diferentes tipos de alergias alimentares, incluindo as mais comuns, e destacar a importância de uma abordagem proativa na identificação e gestão dessas alergias. • Promover estratégias para criar um ambiente escolar seguro e inclusivo para crianças/alunos com alergias alimentares. • Fornecer orientações práticas sobre como organizar refeições, lanches e eventos escolares de forma acomodar as restrições alimentares, garantindo a segurança de todos os estudantes. • Treinar os participantes em procedimentos de emergência para lidar com reações alérgicas alimentares súbitas e potencialmente graves. • Discutir a importância de Planos de Saúde Individual para alunos com alergias alimentares, incluindo a administração de medicamentos de emergência (como a epinefrina).


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 273T2 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD18/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 21-02-2024

Fim: 21-02-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Mário Sacramento - Aveiro

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Pessoal não docente;

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / ACES Baixo-Vouga

Enquadramento

• As alergias alimentares (AA) atingem cerca de 5% das crianças e jovens em idade escolar, com um conjunto de sintomas, em caso de contacto ou ingestão inadvertida do alergénio, de gravidade crescente, que pode atingir a anafilaxia com risco de vida para a criança ou jovem (DGS, 2022). • Por ser um local onde as crianças passam grande parte do seu tempo, a possibilidade de ocorrerem episódios de alergia alimentar é considerável no ambiente escolar. • A escola é um local onde é necessário aplicar um conjunto de procedimentos e normas de forma a assegurar a prevenção de episódios de AA (DGS, 2022). • Neste sentido, revela-se de extrema importância que os procedimentos, preventivos e de atuação emergente, estejam bem disseminados por toda a estrutura escolar.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-02-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 266T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD12/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 17-02-2024

Fim: 17-02-2024

Regime: Presencial

Local: Salão Nobre da Sede do Clube dos Galitos

Formador

Francisco Messias Trindade Ferreira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha

Enquadramento

O exercício da crítica histórica sobre factos e documentos é de importância fundamental para a construção de um discurso histórico corrente e sustentado em elementos provatórios cuja autenticidade, condicionalismos e direitos inerentes sejam o suficientemente seguros. Apenas o apurado exercício desta crítica permitirá distinguir o verdadeiramente factual da propaganda, o facto da opinião, o autêntico do forjado. É indubitável que intencionalidade e objectivos sempre estiveram presentes nas construções humanas, e a construção do Saber histórico também não passou à margem. Os problemas que ganharam acuidade nas sociedades hodiernas não são, na verdade, problemas novos. A consciência dos mesmos é que se modificou.

Metodologias

Toma-se um exemplo prático de um documento do século XVI e exerce-se sobre ele uma apurada desconstrução por via da crítica externa e interna desse mesmo documento. É uma prática que tanto se pode exercer sobre documentação dos século XVI como a qualquer uma outra de tempos actuais ou ainda mais recuados despertando o sentido do exercício critico sobre a produção dos documentos e suas fontes independentemente da sua origem.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-02-2024 (Sexta-feira) 15:30 - 17:00 1:30 Presencial
2 17-02-2024 (Sábado) 15:30 - 17:00 1:30 Presencial

Ref. 274T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD19/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 30-01-2024

Fim: 30-01-2024

Regime: Presencial

Local: ISCA - UA

Formador

Manuel Oliveira de Sousa

Destinatários

AVALIADORES EXTERNOS 2023-2024, da BAE/CFAECAAV, INDICADOS PARA O ANO EM CURSO

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de AVALIADORES EXTERNOS 2023-2024, da BAE/CFAECAAV, INDICADOS PARA O ANO EM CURSO. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha

Objetivos

A AeDD na estrutura da ADD Procedimentos na AeDD Instrumentos de registo de AeDD


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 30-01-2024 (Terça-feira) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 271T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD16/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 26-01-2024

Fim: 26-01-2024

Regime: Presencial

Local: Livraria Santa Joana

Formador

Aida Margarida Teixeira Neves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / ADASA / 9.5.9. Associação - apoio Livraria Santa Joana


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-01-2024 (Sexta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

Ref. 231T3 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD03/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 23-01-2024

Regime: Presencial

Local: Oliveirinha (Escola sede do Agrupamento)

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / Unidade de Saúde Publica do Baixo Vouga

Enquadramento

--

Objetivos

 Aumentar a literacia em Diabetes Mellitus tipo 1 na comunidade educativa (pessoal docente e não docente) deste no Distrito de Aveiro  Diminuir o número de intercorrências relacionadas ao Diabetes Mellitus tipo 1 (hipoglicemia ou hiperglicemia) em contexto escolar  Melhorar o Perfil glicémico dos alunos com Diabetes tipo 1.

Conteúdos

--

Metodologias

--

Avaliação

--

Modelo

--

Bibliografia

--


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 265T2 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD11/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 23-01-2024

Regime: Presencial

Local: Oliveirinha (Escola sede do Agrupamento)

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Pessoal não docente;

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / ACES Baixo-Vouga

Objetivos

 Aumentar a literacia em Diabetes Mellitus tipo 1 na comunidade educativa (pessoal docente e não docente) deste no Distrito de Aveiro  Diminuir o número de intercorrências relacionadas ao Diabetes Mellitus tipo 1 (hipoglicemia ou hiperglicemia) em contexto escolar  Melhorar o Perfil glicémico dos alunos com Diabetes tipo 1.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 272T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD17/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 18-01-2024

Fim: 18-01-2024

Regime: Presencial

Local: Escola de São Bernardo

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

DGAE - Direção-Geral da Administração Escolar

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / Unidade de Saúde Publica do Baixo Vouga

Enquadramento

• As alergias alimentares (AA) atingem cerca de 5% das crianças e jovens em idade escolar, com um conjunto de sintomas, em caso de contacto ou ingestão inadvertida do alergénio, de gravidade crescente, que pode atingir a anafilaxia com risco de vida para a criança ou jovem (DGS, 2022). • Por ser um local onde as crianças passam grande parte do seu tempo, a possibilidade de ocorrerem episódios de alergia alimentar é considerável no ambiente escolar. • A escola é um local onde é necessário aplicar um conjunto de procedimentos e normas de forma a assegurar a prevenção de episódios de AA (DGS, 2022). • Neste sentido, revela-se de extrema importância que os procedimentos, preventivos e de atuação emergente, estejam bem disseminados por toda a estrutura escolar.

Objetivos

• Capacitar a comunidade docente e não docente para reconhecerem os sinais e sintomas de reações alérgicas alimentares. • Educar sobre os diferentes tipos de alergias alimentares, incluindo as mais comuns, e destacar a importância de uma abordagem proativa na identificação e gestão dessas alergias. • Promover estratégias para criar um ambiente escolar seguro e inclusivo para crianças/alunos com alergias alimentares. • Fornecer orientações práticas sobre como organizar refeições, lanches e eventos escolares de forma acomodar as restrições alimentares, garantindo a segurança de todos os estudantes. • Treinar os participantes em procedimentos de emergência para lidar com reações alérgicas alimentares súbitas e potencialmente graves. • Discutir a importância de Planos de Saúde Individual para alunos com alergias alimentares, incluindo a administração de medicamentos de emergência (como a epinefrina).


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2024 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 273T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD18/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 18-01-2024

Fim: 18-01-2024

Regime: Presencial

Local: Escola de São Bernardo

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Pessoal não docente;

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / ACES Baixo-Vouga

Enquadramento

• As alergias alimentares (AA) atingem cerca de 5% das crianças e jovens em idade escolar, com um conjunto de sintomas, em caso de contacto ou ingestão inadvertida do alergénio, de gravidade crescente, que pode atingir a anafilaxia com risco de vida para a criança ou jovem (DGS, 2022). • Por ser um local onde as crianças passam grande parte do seu tempo, a possibilidade de ocorrerem episódios de alergia alimentar é considerável no ambiente escolar. • A escola é um local onde é necessário aplicar um conjunto de procedimentos e normas de forma a assegurar a prevenção de episódios de AA (DGS, 2022). • Neste sentido, revela-se de extrema importância que os procedimentos, preventivos e de atuação emergente, estejam bem disseminados por toda a estrutura escolar.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-01-2024 (Quinta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 267T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD13/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 15-01-2024

Fim: 16-01-2024

Regime: b-learning

Local: Plataforma zoom

Formador

Ricardo Alexandre Diogo Serigado

Destinatários

Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / Município de Albergaria-a-Velha /GesEntrepreneur

Enquadramento

Vivemos num planeta com inúmeros problemas globais, podendo destacar-se, entre outros, as alterações climáticas, as desigualdades no acesso aos bens e direitos fundamentais, bem como as crises humanitárias. Sabemos que o futuro do planeta depende da formação de todos enquanto cidadãos, não só no que respeita aos conhecimentos, que devem ser adquiridos ao longo da vida, mas também através da aquisição de competências e valores. A cidadania e a educação para o empreendedorismo, alicerçados nos pilares fundamentais da educação e formação, são assim as ferramentas que estes projetos se propõem a desenvolver enquanto contributo para o futuro das pessoas e do planeta. Desta forma, o Projeto Educativo a Aventura do Gaspar: Missão pelos 17 ODS´s, nomeadamente as atividades que propomos que as turmas participantes desenvolvam ao longo do ano letivo, estão alinhados com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PA), com as Aprendizagens Essenciais (AE), bem como com a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania (ENEC). Conscientes que o sucesso de implementação da ENEC e da Estratégia Nacional de Educação Ambiental (ENEA) está intrinsecamente ligado à cultura de cada escola e às oportunidades dadas aos alunos para se envolverem na tomada de decisões, nomeadamente nas que os afetam, através do Projeto Educativo a Aventura do Gaspar: Missão pelos 17 ODS´s pretendemos incentivar que os alunos aprendam através de desafios da vida real e da sua comunidade local, indo para além da sala de aula e da escola, e tomando em consideração as implicações das suas decisões e ações, tanto para o seu futuro individual como coletivo. Ações estratégicas de ensino orientadas para o perfil dos alunos que podem ser enquadradas com o projeto: • Promover estratégias que envolvam a criatividade do aluno, designadamente imaginar hipóteses, criar um objeto ou solução face a um desafio; • Promover estratégias que desenvolvam o pensamento crítico e analítico dos alunos, designadamente, com o apoio do professor à sua concretização, discutir conceitos ou factos simples numa perspetiva disciplinar e interdisciplinar e problematizar situações ao seu nível; • Promover estratégias que envolvam por parte do aluno tarefas de pesquisa sustentada por critérios, com apoio inicial do professor à sua concretização, e com autonomia progressiva e incentivo à procura e aprofundamento de informação; • Promover estratégias que envolvam por parte do aluno, com o apoio do professor à sua concretização, a elaboração de planos e esquemas simples e a promoção do estudo autónomo, identificando quais os obstáculos e formas de os ultrapassar; • Promover estratégias e modos de organização das tarefas que impliquem por parte do aluno, com o apoio do professor à sua concretização: a assunção de responsabilidades adequadas ao que lhe for pedido e à sua idade; assumir e cumprir compromissos; contratualizar tarefas; assumir a apresentação de trabalhos simples com auto e heteroavaliação; dar conta a outros do cumprimento de tarefas e funções que assumiu.

Objetivos

Capacitar os professores para integrar de forma efetiva e transversal os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) no ambiente escolar, visando promover uma educação mais inclusiva, participativa e alinhada com os princípios da sustentabilidade, capacitando os alunos para serem agentes de mudança, conscientes e engajados na construção de um futuro sustentável.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-01-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 231T2 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD03/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-12-2023

Fim: 14-12-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Básica de Albergaria-a-Velha

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / Unidade de Saúde Publica do Baixo Vouga

Enquadramento

--

Objetivos

 Aumentar a literacia em Diabetes Mellitus tipo 1 na comunidade educativa (pessoal docente e não docente) deste no Distrito de Aveiro  Diminuir o número de intercorrências relacionadas ao Diabetes Mellitus tipo 1 (hipoglicemia ou hiperglicemia) em contexto escolar  Melhorar o Perfil glicémico dos alunos com Diabetes tipo 1.

Conteúdos

--

Metodologias

--

Avaliação

--

Modelo

--

Bibliografia

--


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-12-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 265T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD11/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-12-2023

Fim: 14-12-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Básica de Albergaria-a-Velha

Formador

Ilka Martins Rosa

Destinatários

Pessoal não docente;

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação da Associação de Escolas Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha / ACES Baixo-Vouga

Objetivos

 Aumentar a literacia em Diabetes Mellitus tipo 1 na comunidade educativa (pessoal docente e não docente) deste no Distrito de Aveiro  Diminuir o número de intercorrências relacionadas ao Diabetes Mellitus tipo 1 (hipoglicemia ou hiperglicemia) em contexto escolar  Melhorar o Perfil glicémico dos alunos com Diabetes tipo 1.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-12-2023 (Quarta-feira) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 201T1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-110719/21

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas (15.0 horas presenciais + 15.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 28-11-2023

Fim: 19-02-2024

Regime: Presencial

Local: Parque de Exposições

Formador

Câmara Municipal de Aveiro

Tiago José da Cunha Rodrigues

Ana Margarida Mendes Mineiro Domingues

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Um dos aspetos que caracterizam as sociedades atuais são as sucessivas vagas de mudança que colocam em causa as qualificações profissionais adquiridas em percursos escolares cada vez mais longos e requerem competências para aprender e reaprender. ”Os analfabetos do próximo século não são aqueles que não sabem ler ou escrever, mas aqueles que se recusam a aprender, reaprender e voltar a aprender." (Toffler) Esta ação de formação pretende promover a aquisição de novas competências pessoais, sociais e emocionais dos professores para a promoção, junto dos alunos, de atitudes positivas, considerando as competências do aluno à saída da escolaridade obrigatória, promotores de uma “Sociedade da Aprendizagem Permanente”.

Objetivos

- Sensibilizar os formandos para a importância de prepararem os alunos para os acelerados ritmos de mudança; - Familiarizar os formandos com metodologias práticas de ensino-aprendizagem (learning by doing); - Capacitar os professores para que possam promover junto dos alunos atividades promotoras de aprendizagens autónomas de competências pessoais e sociais, como a resolução de problemas, resiliência, criatividade, espírito de equipa, etc.; - Integrar novas competências pedagógicas na planificação de aulas e outras atividades de aprendizagem prática (projetos, trabalhos de grupo, visitas de estudo, etc); - Conceber e implementar um projeto-turma que vise o desenvolvimento e aplicação de competências empreendedoras nos alunos.

Conteúdos

SESSÕES DE TRABALHO PRESENCIAL (15 HORAS) Bloco1 – Conceito de empreendedorismo e o seu papel no contexto atual; Apresentação do programa de empreendedorismo no Ensino Básico e Secundário Dinâmicas de grupo para a criação um ambiente de confiança e partilha entre os formandos e autoavaliação das suas características empreendedoras. Atividades “anatomia do empreendedor” - o perfil e características de um empreendedor. Sensibilização para a importância do empreendedorismo no século XXI. A compreensão do papel dos empreendedores na sociedade. Bloco 2 – O entrosamento da temática de educação em empreendedorismo e o as orientações programáticas do Ensino Básico e Secundário. A ligação entre as áreas curriculares e o empreendedorismo, promotor de competências transversais e de conteúdos assentes numa base experimental, baseada em situações reais. Bloco 3 – Aprofundar a compreensão dos professores sobre a relevância da temática do empreendedorismo, de modo a mobilizá-los para uma intervenção inovadora no ensino do empreendedorismo nas suas escolas. Introdução ao “Modelo de ensino learning by doing”. Aplicação do Modelo de Empreendedorismo da CGI na conceção de atividades de empreendedorismo. Realização de simulações com vista a treinar diferentes dinâmicas e estratégias comunicativas. Bloco 4 – A relevância do desenvolvimento de competências empreendedoras para o desenvolvimento do aluno. Introdução de estratégias pedagógicas no desenvolvimento do projeto e promoção de competências base para o desenvolvimento do perfil empreendedor como: criatividade, iniciativa, trabalho em equipa, resolução de problemas, entre outros. Bloco 5 – O empreendedorismo na prática – preparação e acompanhamento dos professores para os momentos altos. Nesta etapa pretende-se ajudar os professores a dar forma aos conteúdos trabalhados. Serão abordados alguns conceitos como planeamento, estratégias de comunicação e divulgação. SESSÕES DE TRABALHO AUTÓNOMO (15 HORAS) O trabalho autónomo pretende que os professores tenham oportunidade de implementar as diferentes metodologias, estratégias e ferramentas apreendidas no decorrer da Oficina de Formação em trabalho presencial. Cada docente deve implementar um projeto-turma, ou seja, um projeto de educação em empreendedorismo que se interliga com os conteúdos programáticos das diferentes disciplinas. Será entregue um conjunto de atividades ao professor que o permitirão promover junto dos seus alunos as principais competências, pessoais e sociais, inerentes a um perfil empreendedor. Estas atividades têm simultaneamente como objetivo, levar a turma a desenvolver um projeto que dê a oportunidade aos alunos de demonstrarem as suas aprendizagens e ter uma experiência empreendedora diferente daquelas a que estão habituados. No desenvolvimento do projeto os professores poderão utilizar os materiais pedagógicos que lhe serão fornecidos e as sessões serão dinamizadas de acordo com o edital do ME- DGIDC para o empreendedorismo.

Avaliação

Avaliação quantitativa dos formandos, e expressa numa escala de 1 a 10 valores, tendo em conta critérios diferenciados para cada uma das componentes da formação, a saber: - Sessões Presenciais Conjuntas: pontualidade, participação nas atividades propostas, contributos para o debate e desenvolvimento da ação e partilha de práticas e materiais; - Trabalho Autónomo: qualidade dos planos de intervenção, em função do contexto e destinatários, materiais de apoio, atividades realizadas e respetiva avaliação. Os formandos serão sujeitos a uma avaliação contínua por observação e ainda a realização de um relatório final, onde constem as evidências do trabalho que desenvolveram e uma reflexão do mesmo.

Bibliografia

Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória – ME/DGEEmpreendedorismo e Inovação, Soumodip Sarkar, Escolar Editora, Lisboa, 2007Aprendizagens essenciais – Cidadania e Desenvolvimento – ME/DGEBarros, M. (2001). Do empreendedorismo – Por uma cultura da iniciativa. Almeida, L.; Caires, S.; Gonçalves, A. e Vasconcelos, R. (2001).Universidade para o mundo do trabalho. Braga: Universidade do MinhoGuião de Educação para o empreendedorismo – ME/DGE


Observações

Esta formação é destinada aos Professores que pretendem envolver-se com os seus alunos no concurso a Tua Ideia Conta - https://www.aveirotechcity.pt/pt/atividades/tua-ideia-conta A Tua Ideia Conta é um projeto educativo promovido pela Câmara Municipal de Aveiro no âmbito da Iniciativa Aveiro Tech City e que é direcionado para alunos do Ensino Secundário/Profissional do Município de Aveiro. Tem como principais objetivos, desenvolver uma cultura empreendedora na região e potenciar um conjunto de competências ligadas ao perfil empreendedora e que vão de encontro àquilo que é o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória. Este projeto termina com um Concurso de Ideias de Negócio que será realizado no formato de apresentação pública das ideias em palco para toda a comunidade, na presença de um júri previamente identificado que irá fazer a avaliação dos projetos.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-11-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 12-12-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
3 08-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 05-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial